[Resenha] Neve na Primavera

25 de agosto de 2015

   
Ótimo!
Tradução: Rafael Gustavo| Páginas: 333 | Lançamento: 2015 | Primeira Edição | Skoob | Comprar | Livro cedido em parceria pela Novo Conceito.
“SEATLE, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar."

 E aí, galerinha! Yeah, mais uma resenha \õ/ Com todo enredo misterioso, “Neve na Primavera” apresenta a história de duas mulheres e uma criança que acabam se entrelaçando, Claire Aldridge é uma jornalista que a única motivação do seu dia, é o seu jornal, tudo está por água abaixo,seu casamento um acidente que enfrentou acaba piorando cada vez mais, e também temos Vera Ray, mãe de Daniel, moça trabalhadora, que por mais que seu salário seja pouco, garante o sustento do seu filho. 

 Narrado em primeira pessoa, temos a mudança de personagem nos capítulos, logo de primeira temos a Vera, no dia 1º de maio de 1933, dando sua despedida de boa noite para seu filho, porém o que ela não sabe, é que poderá ser a última, e logo 2º de maio de 2010 conhecemos a Claire, percebemos que a uma “previsão” do que vai acontecer, como depois de 77 anos poderá acontecer algo esclarecedor?


 Simples, a cada segunda vez em setenta anos em Seattle ocorre uma tempestade de neve fora da época, e naquele mesmo dia em anos atrás Vera acaba descobrindo que seu filho está desaparecido. Após longos anos, Claire se interessou por essa história do desaparecimento e resolveu desvendar todo esse mistério que aconteceu, que por mais de anos acabou ficando sem solução alguma, e aí temos a questão do que ira acontecer com a jornalista e porque esse interesse em descobrir a verdadeira história que aconteceu no passado?

 Meus motivos para ter solicitado esse livro foi que muitas pessoas já comentaram sobre “As Violetas de Março”, que inclusive é uma obra que faz parte da minha wishlist e segundo foi a capa de "Neve na Primavera", que desde já tive um amor pela fonte do título. Essa aposta literária da Novo Conceito me conquistou e até tive pensamentos que ele poderia ser clichê, mas não, foi muito bem escrito e esse laço com drama e mistério foi genial, eu adoro nevascas e claro, Seattle também.




 Por final, tenho que avisar que a diagramação ficou bem bacana, simples, mas que deixou um charme no livro, deixo a vocês uma pequena sugestão de livro com narrativa fluída e com uma trama que deixa o leitor totalmente curioso para a real causa do desaparecimento, o que aconteceu com o Daniel Ray e o que envolve a jornalista nessa história, o final foi surpreendente, e até peguei uns spoilers (né, Amanda?), mas não deixou de ser um ótimo livro e que merece ser lido por vocês.


Todos nós nos comportamos de forma distinta diante do trauma e da agonia (...). Algumas pessoas agem impulsivamente; outras se reprimem – contendo a dor e guardando-a bem no fundo, deixando-a se formar e inflamar, e era assim que eu agia desde o terror que vivera no último mês de maio.

2 comentários:

  1. Oieeee Luaaasn ♥
    Ainda não li nenhum livro da autora, mas andei encontrando muitas resenhas positivas de "Neve na primavera" recentemente, então minha curiosidade está nas alturas. Parece ser muito realista e um pouco assustador também, né? Um desaparecimento na família deve ser uma coisa horrível *-* Aceito o livro de presente, vio?! :)
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Fala, Luan! Beleza, brother?

    Putz que resenha legal! Curti pacas!
    Cara, ainda não conhecia o livro, contudo, sua resenha me despertou interesse!
    Vou querer sim ler este livro!

    Apareça lá no blog Irmãos Livreiros Tem sorteio rolando!

    Forte abraço!
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir

グラスホッパー (gafanhoto), se gostou da postagem e está passando para comentar aqui, desde já, muito obrigado, e lembre-se, boas inspirações! ❤