SENDO BIRUTA & PISCINA JÁ! | PARCERIA + RESENHA

28 de abril de 2017

Olá, pessoal! Tudo bem? Novidades chegando por aqui e entre elas é que o site (sim, agora somos site, muito legal isso, não é mesmo?) foi aceito para o processo de parceria da Editora Biruta e Gaivota, ou seja, estou totalmente feliz com essa nova conquista e totalmente grato pelo tamanho apoio que vocês estão dando para o Justificou! \õ/ Vou apresentar apenas breves informações a respeito sobre esses dois selos pois estou bastante animado para comentar a respeito do primeiro livro de parceria que recebi desta editora.
[ EDITORA BIRUTA ] : Nasceu em uma vila bem florida, lugar muito sossegado, no miolo barulhento de São Paulo. Isso foi um estímulo para que nossos sonhos florescessem e tomassem a forma que têm hoje. No ano de 2016 completamos 16 anos de vida! E temos muito a comemorar. A proposta original da Biruta foi mantida ao longo desses anos e vem sendo, a cada dia, aprimorada. Sempre entendemos o livro como um conjunto harmonioso de texto, projeto gráfico e ilustração. A opção pela descoberta e lançamento de novos talentos nacionais mostrou-se muito estimulante e bem-sucedida. É gratificante poder contribuir para a diversidade literária e poder acompanhar o reconhecimento e sucesso de autores lançados pela Biruta e que cresceram conosco. Nossas aventuras por terras estrangeiras permitiram dar um tempero especial ao nosso catálogo. Publicamos livros clássicos, mas ainda desconhecidos no Brasil, e também livros com temas e narrativas muito originais e divertidas, contribuindo para a formação literária dos nossos pequenos e jovens leitores.
[ EDITORA GAIVOTA ] Qualidade literária, projetos gráficos ousados e instigantes, ilustrações que encantam… É tudo o que almeja uma editora de livros infantojuvenis que considera seus leitores sensíveis, inteligentes e curiosos. E este é o objetivo desta jovem editora — Gaivota —, criada no final de 2011, um novo selo lançado pela Editora Biruta. Mas o desafio vai além. Percebemos uma lacuna importante nos textos destinados a crianças e jovens: livros que abordem temas de diferentes áreas do conhecimento de forma a despertar a atenção e a curiosidade dos leitores. A abordagem lúdica de temas muitas vezes considerados herméticos, complexos ou desinteressantes pode servir de trampolim para estimular e/ou facilitar o interesse em conhecer e aprofundar esses assuntos. Aproximar crianças e jovens de temas que parecem distantes de seu cotidiano pode despertar e antecipar interesses que, muitas vezes, se revelam tardiamente. Mas este foco não exclui a apresentação de obras que estimulem a fantasia, inspirem a aventura e deem acesso aos nossos jovens leitores ao que há de melhor na literatura infantojuvenil nacional e estrangeira.
Título: Piscina Já
Autor: Luiz Antônio Aguiar
Ilustrações: Tiago Lacerda
Publicação: Editora Biruta
Ano de Publicação: 2014
Número de Páginas: 104

 [+] Cedido em parceria com a Editora para resenha.
________________________________________
S I N O P S E : Era um Brasil bem diferente. Um país debaixo de Ditadura. Tem gente que não conheceu esses tempos e nem imagina como foi. Era dureza, chumbo grosso. O Brasil estava um breu na época. E mesmo assim a garotada do Condomínio da Colina partiu para a briga contra a repressão. E foi uma aventura dessas que quem viveu nunca esquece! Como foi? No que deu?… Está contado aqui… em Piscina Já! Uma viagem para um tempo em que gente como a gente lutou – de várias maneiras – pela liberdade!

Durante todas as minhas leituras com infanto-juvenis esta é a primeira que o enredo apresenta um assunto bastante sério e que de certa forma traz uma falta em paradidáticos atualmente, assim que li algumas informações a respeito notava-se que era uma leitura para crianças de oito anos, mas o bom de obras deste gênero literário é que muitas vezes ela aborda um tema específico para diversas idades com assuntos que devem ser mais discutidos na atualidade.

É década de 1970... E o que te lembra? A triste época da Ditadura Militar no Brasil, entre 1964 e 1985, que no caso "Piscina Já!" traz um ponto de vista de uma menina com uma maturidade avançada, na realidade seria uma mulher porém relembrava suas épocas de infância, que no caso era por meio de brigas contra a repressão. Lara tem onze anos e bom, ela é uma criança normal que adora se divertir pelos parques e também em uma piscina que tem perto do Condomínio da Colina, localizado na Serra de Araras
Só que na época das férias da protagonista, isso no finalzinho de 1971, a ditadura militar estava ganhando mais posse e fazia o que bem queria... O número de mortes e torturas aumentavam e no primeiro capítulo ela tem um tio, chamado Zeca, que é totalmente fascinado pelo guerrilheiro Che Guevara. O parente da garota tinha aspectos bem peculiares e queria lutar pelos seus direitos, sempre saía pelas ruas e durante esta época Lara, infelizmente, não teve mais nenhuma notícia dele.


Além disso, outro desastre acabou acontecendo, sempre nos dias de verão a turma se juntava para se divertir na piscina, como eu já tinha falado anteriormente, mas com toda essa crise que estava acontecendo o general, Pimenta, acabou secando o tanque e as crianças estavam com a sua felicidade esgotada, e por incrível que pareça este comandante tem a visão própria de si como um rei totalmente poderoso, típico da época, que todos devem obedecer as suas regras... E daí a protagonista acaba mostrando toda a sua determinação e vai atrás dos seus direitos. Um dos pontos positivos, porque apesar da idade Lara vê que aquilo está errado e luta contra isso.
A forma como é caracterizada este marco histórico é impressionante,a forma que o autor descreve os fatos é de chocar o leitor pelo fato de ser realista, porém ele não retira o lado infantil na obra em nenhum momento e concordo completamente com ele, é necessário que as crianças saibam tudo o que passamos para conseguirmos a liberdade, quer dizer, uma parte dela. Umas das frases que de certa forma acabei me comovendo bastante foi uma fala da mãe da protagonista:


"Lara! Não dorme só de calcinha porque, se os cretinos vierem, vão se aproveitar!"

Lembrando que a garota só tinha onze anos quando aconteceu todo esse escândalo no país, além disso temos as famosas invasões domiciliares, é claro o fato de que todos eram desrespeitados. Muitos eram apreendidos por nenhum motivo e em outros casos os próprios policiais chegavam com armas atirando em toda a família.
A única ressalva que tenho que informar por não ter sido favoritado é que a protagonista não fala muito sobre ela e sim dos outros personagens, dificilmente é encontrado mais sobre a história dela, a única coisa que temos é de fato a luta dela para garantir o direito da piscina. Talvez, vocês estejam pensando que essa história seria apenas de uma garota mimada, mas infelizmente essa teoria não está correta. Lara é uma protagonista com uma atitude bastante elevada, além disso a forma como ela lida com as situações é de total leveza, porque de um lado ela sabe que deve ser feito a dedicação para tornar-se livre.
A diagramação está super bacana, a Editora Biruta teve um cuidado enorme com a edição, apesar de ter páginas brancas as ilustrações apresentadas deram um charme gigante no livro, as letras estão em um ótimo tamanho, além disso nem preciso falar dessa capa, não é verdade? Outra coisa, temos um extra que os próprios editores demonstram características sobre a ditadura, ou seja, evoluindo ainda mais a perspectiva do público infantil.

[NOTA: 5.0]
Allons-y, @justificou!

RESENHA | SHERLOCK HOLMES NO JAPÃO

18 de abril de 2017

TÍTULO: Sherlock Holmes no Japão
AUTOR: Vasudev Murthy
EDITORA: Autêntica, selo Vestígio 
ANO DE PUBLICAÇÃO: 2015 
PÁGINAS: 220 
*Livro cedido em parceria com a editora.


SHERLOCK HOLMES ESTÁ MORTO? Fãs deste personagem tão querido irão adorar este livro, na verdade, a proposta principal desta obra, segundo o próprio autor Vasudev Murthy, é responder algumas questões que ficaram sem soluções nas primeiras obras do tão querido detetive. Em 1893 a tensão entre China e Japão está bastante forte e para piorar tudo isso, o Doutor John H. Watson, amigo fiel, acaba recebendo uma carta do falecido detetive há dois anos, Sherlock Holmes, com passagens para Tóquio e a seguinte mensagem:

"WATSON, PRECISO DE VOCÊ. MEU VIOLINO, POR FAVOR. S.H"

Uma carta, que deixa o próprio Doutor com diversas questões emocionais, e com toda a sua habilidade, ele sabia que aquela caligrafia era do próprio amigo e então resolve partir para descobrir o que realmente está acontecendo, junto com o violino solicitado pelo 'falecido' Holmes. 
Quando ele resolve embarcar, surgem diversas questões enquanto está abordado, porque como sabemos, Sherlock tem uma incrível forma de disfarçar-se, mas além disso, tem o incrível problema do famoso lado criminoso, que é o Professor Moriatry, também conhecido como Napoleão do Crime, com a elaboração do seu mapa para dominar todo o mundo e apenas uma pessoa pode vencer este perverso que está solto por aí. 
Coisas absurdas acabam acontecendo durante esta viagem, incluindo a morte de Kazushi Hasimoto e o foco principal será sobre o por quê deste assassinato - no caso, ele infelizmente foi encontrado com uma adaga nas costas -. E por aí surge uma aventura, a luta para combater o professor que planeja o mal para o universo, além disso os detalhes propostos pelo próprio autor de uma viagem cansativa, mas cheia de mistérios, de Londres até Japão, com uma caracterização excelente de personagens, onde deixa o leitor bastante curioso para saber o que aconteceu realmente com o Sherlock Holmes e por quê do seu paradeiro. 
A forma como o autor acabou apresentando um pouco sobre o Japão - não só este país, mas também a Índia, pelo fato dele ter nascido neste local, na capital nomeada Nova Delhi -, tanto que na história temos alguns traços e poemas japoneses, conhecidos como waka, facilitando ainda mais a imaginação do leitor e como eu tenho bastante interesse em conhecer o território da ásia ocidental foi uma ótima aposta.

Vale mencionar que uma das coisas que eu mais achei criativa por parte de Vaudev Murthy, é que ele mesmo, por ser um enorme fã obviamente deste detetive, acaba sendo um personagem da história (como Akira Yamashita) e ganhando um certo destaque positivo, mesmo que sua aparição seja logo na metade da obra, porque como eu já tinha mencionado anteriormente, a cultura indiana também está presente, então o autor resolveu pegar dois países, estudou eles e trouxe atributos de novas linhagens, e junto criou uma figura com todas as suas características presentes.


1893, aventuras dos anos perdidos do detetive mais famoso da história.

Infelizmente, para quem deseja acompanhar esta aventura é necessário entender um pouco a respeito do universo deste detetive e além do mais este livro acabou apresentando algumas partes um pouco cansativas e sem nexo por parte do autor, mas confesso que foi apenas a minoria, nada que impedisse para uma boa leitura.
Em "Sherlock Holmes no Japão" teremos uma recapitulação de algumas cenas encontradas nos livros do médico Sir Arthur Conan Doyle, que acabou criando este personagem ficcional, com novos elementos e também novas culturas, porque como vocês sabem o foco, tanto na série quanto nas obras, é apenas um determinado local, que é Londres e isso acabou trazendo o detetive para outros lugares do mundo em busca de desvendar casos misteriosos, uma proposta totalmente interessante por parte do escritor Vasudev Murthy.


⭐⭐⭐
[NOTA: 4.0]
Allons-y, @justificou!

RESENHA | O TRITURADOR

17 de abril de 2017
Depois de uma ressaca literária enorme, o que me salvou de verdade foi "O Triturador". primeiro livro da série Crusher (que começou a ser escrita em 2012) , publicado pelo Grupo Editorial Record, selo Bertrand Brasil. Narrado em primeira pessoa, conhecendo um pouco sobre a vida de Finn Maguire, um jovem de dezessete anos, que simplesmente resolveu largar a escola e iniciar sua vida no ramo de trabalho, diagnosticado com dislexia e apresenta antecedentes criminais, é um jovem que passou por muita dificuldade e além disso, a sua relação familiar não é uma das melhores, a sua única companhia é na verdade o seu padrasto. 


VOLUMES DA SÉRIE CRUSHER:
1. CRUSHER (2012) - O TRITURADOR (2017)
2. INCINERATOR (2014) - SEM PREVISÃO DO TÍTULO
3. SHREDDER (2014) - SEM PREVISÃO DO TÍTULO

A vida do protagonista é bem pacata, o local onde ele trabalha é simplesmente horrível, Max Snax - mais conhecido como comida de péssima qualidade-, e pelo que pude perceber o protagonista realmente detesta o seu expediente, porém é uma salvação porque o seu pai - que é um roteirista malsucedido - está desempregado, não sai de casa, não conseguiu nenhuma proposta e muito menos está vivendo uma vida tranquila como queria. 

Tudo vira um caos quando em uma simples volta ao trabalho, Maguire acaba encontrando a casa em total escuridão, coisa que não era normal de acontecer e tentava chamar por alguém, mas não escutava sinal de ninguém na residência, até que ele se depara com o corpo do seu pai, praticamente todo ensanguentado e as pistas eram que o rapaz (o pai, padrasto na verdade, mas o protagonista o considera realmente porque eles viveram a vida toda juntos e isso é incrível) tinha sido violentado até a morte... Mas quem seria esta pessoa? Um amigo, um parente próximo?
Além desta questão, a obra apresenta um pouco sobre uma relação bem bacana de pai e filho, mesmo sendo apenas no começo antes da tragédia ter acontecido e confesso para vocês que eles se davam super bem, ocorria uma ajuda coletiva. Em relação aos outros parentes do protagonista a mãe do jovem não deu atenção a ele, fugiu quando ele era mais novo e ninguém tem ideia onde ela se contra, já o pai biológico, por sinal, ele não sabe nem quem é, ou seja, Finn Maguire só tinha apenas o seu padrasto


PARA ENCONTRAR O ASSASSINO, ELE PRECISOU SE TORNAR UM.

E com isso, surgem desconfianças, o único suspeito da morte do rapaz é o próprio filho e a partir daí o protagonista acaba sendo a cada dia mais perseguido pela polícia e uma bola de neve recheada de problemas acabam acontecendo, ele acabou sendo demitido do estabelecimento onde trabalhava por causa da polícia estar envolvida em tudo sobre ele e não queriam 'manchar' a imagem do local - pura sacanagem, não é verdade? 

Finn encontra sua vida sem nenhuma esperança, mas apesar de ter dezessete anos ele é um personagem extremamente evoluído e resolve seguir passos do passado trabalhando em um local de esportes, antes de ser balconista o personagem era boxeador e bastante conhecido como "o triturador" e daí já se tem a percepção da nomeação da obra. É um livro sobre vingança, o personagem principal deseja saber o por quê da morte do seu pai, então ele resolve partir em busca de respostas, mas também tem temas principais sobre relações familiares, além disso o destino do jovem está marcado para morte.
único problema que encontrei foi em relação ao romance desenvolvido pelo autor, pois é, Finn acaba encontrando uma moça com algumas características parecidas com a dele - porém eu acabei não gostando muito das atitudes dela - e o autor deixou algo muito meloso para um livro deste gênero -, porém as explicações logo no final da obra sobre os pensamentos da jovem foram bem significativos. 

Retirando esta parte, o livro foi incrível e estou doido para conhecer mais a escrita deste novo escrito. Sobre a diagramação tenho que parabenizar à editora, porque as letras ficaram em uma qualidade ótima e bem espaçada, também ajudou para que a leitura não fosse cansativa, a introdução de capítulos também estão super bacanas e sobre essa capa? Não tenho nem o que falar, representa muito bem a história e além disso ela é linda, adorei bastante o tom de azul e preto.
Alguns personagens estão ligados ao ponto da morte do pai do personagem, além disso a cada nova pista o leitor acaba sendo levado a desvendar os mistérios junto com o próprio Finn e o sentimento do personagem acaba sendo transmitido também, apresenta inúmeras questões sobre injustiças do dia a dia e outros. É um livro altamente indicado para quem aprecia o gênero, a cada novo capítulo uma surpresa, leitura envolvente e espero que o Niall continue assim, acho que ele aprendeu bastante com a E.L. James (rs), porque para quem não sabia ele é casado com a autora de Cinquenta Tons de Cinza, ou seja, um casal literário encontrado, muito bacana, não é? 

"O Triturador" tem um potencial enorme, é o primeiro livro do autor Niall Leonard e ele estreou de forma bem interessante, sua escrita foi totalmente cativante e para ser sincero eu não tinha muitas expectativas sobre a obra, mas ela acabou me prendeu do início ao fim, um livro para quem adora suspense e mistério recheado de assuntos que ganham qualquer leitor, além disso apresenta um final arrebatador. 


⭐⭐⭐'5
[NOTA: 4.5]

Allons-y, @justificou!

RESENHA | FORT OF APOCALYPSE #1

13 de abril de 2017

HEY, NO MATTER WHERE YOU GO! Tudo bem? Primeira resenha de um mangá aqui no Justificou, estamos evoluindo bastante, hein? E eu estou adorando isso, porque essa história me conquistou do início ao fim, confesso que assim que recebi o exemplar acabou passando na lista de leituras, completamente devorei e aqui estou eu desejando logo o próximo volume.
Fort Of Apocalypse - Volume 1
Publicado pela Editora JBC
Escrito por: Yu Kuraishi


"Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não tornar-se também um monstro. Quando se olha muito tempo para um abismo, o abismo olha para você."

NIETZSCHE
Logo nas primeiras páginas de "Fort Of Apocalypse" é encontrada uma citação deste filósofo e poeta, Friedrich Nietzche, e já se pode ter uma percepção do será encontrado durante todo o enredo, pelas suas ideias e o pensamento de ser livre, etc. Um mangá bem curto, com apenas três capítulos, mas repleto de críticas a sociedade, incluindo as injustiças encontradas nos dias atuais. 

Yoshiaki Maeda é o protagonista e ele acabou sendo culpado por algo que não cometeu, a morte de uma pessoa em seu apartamento. Na volta para a casa, o jovem acabou encontrando um corpo por perto e junto havia o próprio assassino, mas ele acabou não observando direito quem era e infelizmente ganhou a autoria do crime. 

O protagonista foi transferido para a Instituição Shouran, que no caso é um centro para menores infratores na região do sudeste do Japão e com isso, Maeda acaba descobrindo que a vida não é justa e muito menos que fácil. Atordoado com a quantidade enorme de violência encontrada no local, a maioria dos homens que estão lá acabam não respeitando o jovem e muito menos os próprios policiais e a sua maior luta lá é a sobrevivência.
Porém na Instituição, o personagem acaba conhecendo algumas pessoas que tem algumas características parecidas com a dele, que é Mitsuru Yamanoi, Go Iwakura e Masafumi Yoshioka💛). Maeda é o mais novo entre eles, dezesseis anos e o último que acabei citando é o mais velho (Yoshioka), com dezoito anos e um dos personagens que mais gostei por sua atitude, cálculo e observações durante algumas situações. A faixa entre a pena dos garotos é de três anos, menos a do protagonista, que é perpétua.

A situação acaba fugindo do controle com uma briga ocorrida na Instituição entre todos os membros, mas neste mesmo dia uma coisa bastante estranha aconteceu, um carro bateu em frente ao centro, um cara ensanguentado estava nele e alguns corvos estavam carregando pedaços de corpos humanos, uma coisa bem inusitada, não é verdade? Um apocalipse estava por vir.

E isso é apenas o início de uma doença, que causa o desejo por carne humana, típico The Walking Dead, - para quem gosta do gênero e desta série vai amar este mangá -onde são mortos-vivos que estão destruindo todos da cidade de Itabashi, em Tóquio e de certa forma eu achei isso super clichê, mas após ler a obra até o final a minha percepção estava incorreta, pelo fato de um me surpreender bastante com as ações de todos os personagens, Yu Kuraishi deixou a história bem detalhada e interessante, já a interpretação de Kazu Inabe foi bem rica e emotiva.
O número de mortes aumenta por causa dessa infecção viral e acabam restando poucas pessoas, resumindo em poucas palavras o protagonista não tem mais nenhuma notícia a respeito da sua família e ele acaba ficando extremamente preocupado e a primeira coisa é que alguém foi infectado por este vírus.

O final do primeiro volume acabou deixando em aberto algumas questões que me fizeram querer logo o próximo volume - que inclusive é um lançamento para o mês de Abril e a capa está linda, brevemente mostro ele aqui para vocês -, de forma clara este mangá é uma luta pela sobrevivência e também relata as péssimas condições de recuperação para jovens infratores em alguns locais, além do mais sobre política e claro, acusações falsas.
Os traços deste mangá estão incríveis, a Editora JBC deixou a capa excelente e a diagramação está incrível, em nenhum momento vi falhas na tradução ou algo do tipo. Para quem é muito fã de uma leitura mais pesada e com uma dose de terror assim como eu, deverá gostar bastante da história, porque os detalhes em relação, principalmente, a morte de alguma pessoa é realmente bem rica, tanto na escrita quanto nas ilustrações. 

Espero que neste próximo volume o enredo se desenvolva mais a respeito da  do passado dos personagens, pois queria muito saber o que por quê dos outros rapazes, amigos do Maeda, terem ido parar na Instituição e também fatos sobre a vida de cada uma trama tem um potencial ótimo e espero que continue assim até o último volume.
⭐⭐⭐'5 
[NOTA: 4.5]

Allons-y, @justificou!

PREPARANDO O CORAÇÃO | RECORD & GALERA

7 de abril de 2017

Olá, olá! Tudo bom com vocês? No início do mês sempre acabo pirando para conhecer os lançamentos que as editoras prepararam, e como eu conheço perfeitamente vocês, decidi fazer uma postagem super especial para mostras as próximas obras que chegam às livrarias daqui a alguns dias. Tem muita coisa boa vindo por aí, um mês recheado de continuações e novos autores na literatura. E aí, que tal conhecer?

 LANÇAMENTOS DO MÊS DE ABRIL DE 2017
 

Neste romance repleto de beleza literária e cores realistas, tão chocante quanto maravilhoso, tão particular quanto universal, Thales Guaracy olha Anita pelos olhos de Giuseppe Garibaldi, a única pessoa que testemunhou por completo a vida da revolucionária. E assim desvenda e nos apresenta, com estilo único, pessoal e emocionante, a mulher que se atira sozinha sobre o exército inimigo; que corta os cabelos do marido por ciúme e o ameaça com um par de pistolas; que abandona os próprios filhos entre desconhecidos para atravessar um país conflagrado, escondida sob as cartas de um carro de correio, até uma cidade sitiada. E que aprendeu que “as causas perdidas são as mais certas”, tornando-se uma das mais extraordinárias personagens da história, considerada a “heroína de dois mundos”, precursora e símbolo do feminismo, representação de mulher forte e independente.



(CRÔNICAS DA FAMÍLIA IREMONGER #1)
Clod é um Iremonger. Ele vive nos Cúmulos, um vasto mar de itens perdidos e descartados coletados em Londres. No centro dos Cúmulos está Heap House, um quebra-cabeça de casas, castelos, cômodos e mistérios recuperados da cidade e transformados em um labirinto vivo de escadas e criaturas rastejantes. Uma tempestade está se formando sobre Heap House. Os Iremonger estão inquietos, e os objetos falantes estão gritando cada vez mais alto. Os segredos que mantêm a casa em pé começam a vir à tona para revelar uma verdade sombria capaz de destruir o mundo de Clod. Tudo, porém, começa a mudar quando ele encontra Lucy Pennant, uma órfã rebelde recém-chegada da cidade...





RASTROS DE SANGUE, VAL MCDERMID
Garotas estão desaparecendo por todo o país, e, aparentemente, não há qualquer ligação entre os desaparecimentos. Cabe à recém-formada equipe de análise do Dr. Tony Hill ir atrás de pistas que estabeleçam padrões ou conexões. Mas, após um subordinado surgir com uma hipótese, um dos membros da equipe aparece morto, e a questão se torna pessoal. Agora, acompanhado de sua colega Carol Jordan, Hill embarca em uma campanha de terror psicológico onde os papéis de caça e caçador podem se confundir com facilidade. Depois de tantos anos investigando as mentes de homicidas insanos, a dupla está prestes a descobrir que homens sãos também matam.






A mais recente incursão do escritor português, que é sucesso na internet, por um universo poético e cheio de sensações, do qual leitor algum sairá o mesmo. Em uma viagem intimista e desconcertante, Pedro Chagas Freitas caminha até o interior da emoção: da saudade ao desejo, da rebeldia à submissão, da dor ao amor, nada ficará por tocar. Permita-se sentir. Autor do best-seller Prometo falhar Pedro Chagas Freitas é um jovem escritor português que conquista leitores por onde passa. Sua página no Facebook, em que publica textos inspirados e inspiradores, tem mais de um milhão de curtidas.



Jane precisa se ausentar por alguns dias, pede à irmã que fique em sua casa em San Francisco para cuidar de seu buldogue. Lá Coco tem uma incrível surpresa. Sem aviso, surge um hóspede: Leslie Baxter, um dos atores de Hollywood, que está fugindo de uma ex- namorada. A atração entre eles é imediata. À medida que Coco imagina um futuro ao lado de uma das maiores estrelas do cinema e sua mãe e irmã estabelecem vidas inteiramente novas, velhas feridas cicatrizam e novas famílias se formam, todas unidas pelo amor.





Quando Lila Emerson testemunha um assassinato/suicídio do apartamento onde trabalha, a vida muda de maneira drástica. O artista Ashton Archer sabe que seu irmão seria incapaz de praticar tamanha violência — por isso, recruta Lila, a única testemunha ocular, para ajudá-lo a descobrir o que realmente aconteceu. Atribuindo a intensa atração que sentem um pelo outro ao calor do momento, Lila concorda em ajudar Ash a tentar descobrir quem matou seu irmão e por quê. Desde os alpendres de Manhattan até as grandes casas de campo italianas, sua investigação os atrai para um círculo seleto, onde valiosas antiguidades são compradas, vendidas, apostadas e roubadas; onde você é aquilo que possui; e onde o que você deseja se torna uma obsessão mortal...





Em seu novo livro de crônicas, Carpinejar não fala de amor, mas de amizade. São 122 textos ao longo de mais de 200 páginas que combinam reflexões de companheirismo e humor do cotidiano com lembranças da infância e um ou outro conselho sobre convivência. Com mais de 145 mil exemplares vendidos no Brasil, Carpinejar já foi duas vezes vencedor do Prêmio Jabuti (2009 e 2012) e ganhador de outros vinte prêmios literários. Carpinejar atua como comentarista do programa Encontro com Fátima Bernardes da Rede Globo e colunista dos jornais Zero Hora e O Globo.



Esqueça amor “à primeira vista”. Esta é uma história de amizade “à primeira vista”... ou quase Mark e Kate são da mesma turma de cálculo, mas nunca trocaram uma única palavra. Fora da escola, seus caminhos nunca se cruzaram... Até uma noite, em meio à semana do orgulho gay de São Francisco. Mark, apaixonado pelo melhor amigo — que pode ou não se sentir do mesmo jeito —, aceita o desafio que mudará sua vida. E sobe no balcão do bar em um concurso de dança um pouco diferente... Na plateia, Kate, fugindo da garota que ela ama a distância por meses e confusa por não se sentir mais em sintonia com as próprias amigas, se encanta pela coragem e entrega do rapaz. E decide: eles vão ser amigos. Em meio a festas exclusivas, fotógrafos famosos, exposições em galerias hypadas, essa ligação se torna cada vez mais forte. E Mark e Kate logo descobrem que, em muito pouco tempo, conhecem um ao outro melhor que qualquer pessoa. Uma história comovente sobre navegar as alegrias e tristezas do primeiro amor... uma verdade de cada vez.

Algumas crianças veem o verão como um tempo de alegria e brincadeiras. Mas para Steve é apenas mais um período de preocupação e ansiedade. Seu irmão recém-nascido está lutando pela vida... E ninguém sabe se ele conseguirá vencer essa batalha. Como seus pais ficarão se o pior acontecer? Além de tudo, ainda há um vespeiro no telhado de sua casa... Ele é alérgico! Quando uma vespa-rainha invade seus sonhos com uma solução para todos os problemas, Steve acha que tudo se resolverá, ele só precisa dizer sim. Mas sim é uma palavra muito poderosa... Será possível voltar atrás? 







Antes de serem traídos pelo atual rei, os Galathynius reinaram em Terrasen por séculos. E agora Aelin deseja recuperar a coroa e voltar a seu trono de direito... Mas o caminho até lá é longo e sinuoso. Amigos serão perdidos, lealdades serão quebradas e alianças inesperadas surgirão. Com a vida e poder jurados ao povo que está determinada a salvar, a antiga assassina, conhecida como Celaena Sardothien, colocará a própria segurança em risco para proteger os seus. Mas a única salvação está numa relíquia enterrada nas ruínas de um velho pântano. Primeira parte do quinto volume da série Trono de Vidro.

A história de Aelin Galathynius, sempre repleta de ação e intrigas, continua nesta segunda parte do quinto livro da série, Império de tempestades. Aelin Galathyius sobreviveu a prisão, à perda de amigos e amores, às traições. Agora deve vencer seu maior medo para salvar o mundo. Com a vida e poder jurados ao povo que está determinada a salvar, a antiga assassina, conhecida como Celaena Sardothien, colocará a própria segurança em risco para proteger os seus. Mais que nunca, Aelin precisa de Rowan, de Dorian e de todos os aliados para conseguir descobrir a localização da relíquia sagrada capaz de banir de seu mundo a ameaça valg e os horrores libertados em Morath. Chegou a hora de levantar os exércitos de Erilea. De cobrar velhas dívidas... é hora de marchar contra o mais supremo dos males. E confiar na pureza de seu coração para trazer a luz.

Se interessaram por algum? Os lançamentos deste mês foram mais diferenciados em relação ao estilo de Março, com mais o mistério e suspense, e ah, fiquei tão feliz pelo livro da Sarah J. Maas (mesmo não sendo completamente a favor da divisão do quinto livro), que aliás, pretendo começar o segundo livro brevemente! Vamos surtar juntos então? Vamos! 😱

Allons-y, @justificou!