RESENHA | NOSSAS HORAS FELIZES

13 de maio de 2017


Título: Nossas Horas Felizes
Autor: Gong Ji-Young
Publicação: Grupo Editorial Record
Ano de Publicação: 2017
Número de Páginas: 279
⭐⭐⭐⭐
 [+] Cedido em parceria com a Editora para resenha.
______________________________________________________
S I N O P S E : Yujeong é uma jovem da alta sociedade coreana que, indiferente a tudo e a todos é incapaz de se entender com a própria família, não consegue encontrar um sentido para sua vida. Depois de três tentativas frustradas de suicídio, ela acaba definhando entre o álcool e o desespero. Seus familiares, por outro lado, não se esforçam para entendê-la, a não ser sua tia, a irmã Mônica, com quem sempre teve uma ligação especial. Disposta a fazer o que for preciso para que Yujeong volte a sentir vontade de viver, a freira sugere à sobrinha que as duas façam semanalmente uma visita a um preso no corredor da morte. E então elas conhecem Yunsu, um homem que anseia deixar este mundo por acreditar que só assim conseguirá se redimir de seus pecados. Apesar de sua origem humilde, ele e Yujeong têm algo em comum: um triste passado de abusos físicos e psicológicos. Aos poucos, durante os encontros na prisão, os dois jovens atormentados revelam um ao outro seus segredos mais obscuros e seus traumas do passado, criando uma conexão inesperada, que gradualmente desperta nessas duas pobres almas o desejo de viver. Mas as mãos de Yunsu estão sempre algemadas, os guardas estão constantemente por perto, e Yujeong sabe que aquelas horas felizes juntos podem ser tragicamente curtas.
________________________________________________________________________________

Um livro impactante, narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista da Yujeong, uma jovem de trinta anos encantadora, bonita, inteligente e poderosa... Bom, com apenas essas três características temos o palpite que a vida dessa protagonista aparenta ser maravilhosa, não é mesmo? Mas estamos totalmente enganados. ⠀ Não foram uma, nem duas e sim três tentativas de suicídio, sinto que este tema foi abordado de forma objetiva neste enredo e demonstra que de fato sempre haverá uma solução. 

Infelizmente a protagonista não consegue ter uma relação familiar muito boa, além de tudo inúmeros problemas relacionados ao seu passado voltam para o seu presente. ⠀A cada interjeição se transforma em uma bola de neve, fazendo com que a personagem não veja mais nenhum sentido para a sua existência.  Ela se sente sozinha, tanto que é difícil a família conseguir entendê-la... Em alguns aspectos Yujeong diz:

Por que você não está disponível quando eu me sinto sozinha?
Mas existe uma pessoa que consegue compreender toda a situação que a protagonista está pensando. Considerada a ovelha negra da família temos Tia Mônica, que por algum sinal ela age igualmente a Yujeong em algumas situações como eu pude perceber e ah, sem mencionar que ela leva religião bem a sério, é uma freira, que está disposta a mostrar o real sentido da vida para a sobrinha. 

Depois de sair do hospital onde estava se recuperando das tentativas de morte, Yujeong acaba ganhando uma proposta da tia. Semanalmente as duas irão visitar um preso no corredor da morte - que no caso é um trabalho voluntário que ocorre na Coreia do Sul, onde o livro é ambientado -. E dai conhecemos o inesperado Yunsu....
O CRIMINOSO JEONG YUNSU MATOU UMA MULHER QUE O VINHA AJUDANDO, ROUBOU SEU DINHEIRO E SEUS OBJETOS DE VALOR, ESTUPROU E ASSASSINOU A FILHA DELA E DEPOIS MATOU A POBRE E INOCENTE EMPREGADA, E AINDA ASSIM NÃO DEMONSTRA QUALQUER REMORSO

Foi o que Yujeong encontrou a respeito sobre o rapaz, e de certa forma, pude notar que a personalidade deste presidiário era bem fria, não era de muita conversa e tal, e assim como demonstra Na notícia ele não tem nenhum arrependimento pelos problemas cometidos. Então chega a hora de comentar a respeito sobre as ANOTAÇÕES AZUIS, que são todos os manuscritos do criminoso Yunsu e com isso percebemos tudo o que ele passou, que infelizmente acabou evoluindo para este desastre. E então a protagonista percebe que os problemas de Yunsu são maiores, tanto que a 'inspiração' dele ter cometido essescrimes foi devido a acontecimentos do passado, como eu já havia mencionado, mas por causa da família.
"Nossas Horas Felizes" foi adaptado também para o mangá nomeado como: Watashitachi no Shiawase e também para as telonas lá na Coreia como Maundy Thursday e de certa forma, nada mais que merecido, não é mesmo? Além de abordar temas interessantes a carga emocional deste livro é gigante e todas as reflexões apresentadas foram escritas de forma objetiva, sem que se torna-se algo maçante e o que facilita a leitura é que encontramos uma variedade de diálogos. 

Em relação ao trabalho gráfico, eu de certa forma não curti muito a capa, apesar de que as outras edições acabaram seguindo o mesmo padrão, mas em relação a fonte o espaçamento ficou bem bacana e o tamanho ficou agradável, nada que incomode a leitura, além disso, algumas citações no início de capítulos são demonstradas, não todos, mas na maioria em si. 
É um livro totalmente interessante para quem deseja explorar novos horizontes, e saber a respeito de temas mais fortes, com o abandono, questões familiares, injustiças e claro, o objetivo principal que é o suicídio e além disso a autora acertou em cheio mostrando novos ares para a protagonista, o que ele fez pensar de forma mais séria a respeito das suas escolhas,  ah, vale ressaltar que este livro também aborda principalmente um romance. Altamente recomendável e todos os prêmios que a Gong Ji-Young ganhou com esta obra foram totalmente merecidos, com certeza essa história deve ser lida por todos.


[NOTA: 5.0]
Allons-y, @justificou!

RESENHA | O FANTASMA

1 de maio de 2017


Título: O Fantasma
Autor: Jo Nesbø
Um caso de Harry Hole
Publicação: Grupo Editorial Record
Ano de Publicação: 2017
Número de Páginas: 461

 [+] Cedido em parceria com a Editora para resenha.
______________________________________________________
S I N O P S E : Para salvar aqueles que ama, Harry Hole precisará enfrentar seus próprios fantasmas em mais um caso brutal que abala Oslo. Depois de três anos morando em Hong Kong e tentando fugir dos traumas de sua vida como detetive em Oslo, Harry Hole retorna à Noruega. O impensável aconteceu: Oleg, o menino que ele ajudou a criar, foi preso, acusado de matar um traficante de drogas. Harry não acredita que ele seja um assassino e inicia uma caçada para prender o verdadeiro culpado. Apesar de não pertencer mais à Divisão de Homicídios, Harry tem um novo caso a resolver. Mais uma vez ele percorrerá o submundo de Oslo, onde uma nova droga está se tornando bastante popular. Mas isso não será o suficiente para salvar Oleg. Para provar a inocência do rapaz, Harry será obrigado a confrontar o próprio passado.
________________________________________________________________________________

Nono livro dos casos de Harry Hole, "O Fantasma" traz uma nova evolução nas escritas do Jo Nesbø, onde de fato a apresentação do título seria uma filosofia a respeito da luta dos nossos próprios fantasmas. Apesar de ser uma série, esta obra pode ser lida de forma independente e para quem sempre acompanhou a escrita do autor terá uma ótima experiência. Harry Hole é um inspetor bastante renomado, viveu três anos em Hong Kong e resolve retornar para Noruega por conta de um fato que acabou afetando a sua família. 

É mais um livro que aborda a injustiça encontrada em tribunais, o filho da sua mulher Rakel acabou sendo preso por assassinato. E com toda a preocupação em cerca do Oleg o protagonista vê que este jovem foi acusado de forma desonesta e então resolve seguir todas as pistas deste fato, só que típico de Nesbø outros acontecimentos serão apresentados que aumentam o terror do processo e além disso tudo teremos coisas ligadas ao passado do próprio protagonista. ⠀ 


De certa forma este livro foi uma surpresa para mim, no início eu achei a escrita do autor bem massante e algumas das considerações que levei logo a respeito foi por ser meu primeiro contato com ele.  E sim, de certa forma isso me incomodou um pouco, mas depois de muitas tentativas a leitura (finalmente) avançou, é um daqueles livros que melhoram após as cem primeiras páginas.  

A linguagem de Jo Nesbø é bastante rica, com alguns detalhes a cerca dos crimes, tanto que o surgimento de uma nova droga nomeada "violino" é repleta de detalhes, de como surgiu, entre outros... E ah, por um sinal apenas, isso me lembrou um pouco de Sherlock Holmes por causa dele gostar bastante do seu violino, não tem nada relacionado a história, é apenas uma observação. 
E além disso traz a narrativa de outro personagem que veio a falecer (não é spoiler, logo nos primeiros capítulos já sabemos disso) e junto temos a divisão de partes. Para quem ainda não leu nada deste autor eu sugiro não começar por este, porque a leitura poderá incomodar, como foi o meu caso, ou se for melhor leia uma resenha para você já ter uma percepção dos outros casos. Muita coisa a respeito do protagonista não devem ser muito comentadas, porque qualquer desvio poderá levar a um spoiler da série inteira, então desde modo vocês podem observar o quanto estou sendo atencioso nesses comentários.

A diagramação que o Grupo Editorial Record deixou está bem simples, as páginas são amareladas, com fonte comum, mas o que não deve deixar de notar é que cono eu já tinha mencionado, assim que temos a narração do falecido a fonte acaba mudando, o que ajuda bastante o leitor a compreender quem é quem nessa história. 
Gostei bastante de como o próprio autor abordou o assunto a respeito de drogas e tráfico, contudo, ele é uma ótima aposta para quem aprecia o gênero suspense e deseja uma leitura mais realista do que encontramos diariamente na sociedade, espero ter oportunidade em ler os primeiros livros, porque isso irá me ajudar ainda mais na compreensão deste.

[NOTA: 4.0]
Allons-y, @justificou!